domingo, 28 de fevereiro de 2010

A MASSIFICAÇÃO DO ENSINO:

Em artigo da semana passada, que questionava de quem era a culpa pela má qualidade da educação, supomos que era de todos nós. Foi feita uma divisão da culpa para não pesar tanto.
Mas existe um outro fator que muitas vezes nem é levado em conta: a massificação do ensino.
Ao comparar a educação dos anos 50 com a de hoje, podemos ver que houve muitas mudanças. Antes a escola não era acessível a todos, não existia fartura de material didático, não existia tanto investimento em educação, não havia facilidades para que o aluno fosse aprovado, passava quem sabia, entre outros.
Mas a escola era mais bem cuidada, o professor mais prestigiado, a profissão era nobre, havia respeito, e as pessoas viam a educação de uma forma importante.
Hoje, essas coisas pouco existem. Não há mais respeito, muitas vezes, nem por parte do gestor, que vê o professor como um subordinado. O próprio sistema cria contrariedades. Precisamos formar mentes que pensam, que criam, que aprendem. Mas ao mesmo tempo, o sistema incentiva a empurrar mesmo quem não aprendeu. E a educação vai sendo levada como uma mudança de estado apenas: antes era assim; hoje tem que ser assim.
Por esse lado, a massificação do ensino, a universalização da escola foi prejudicial, porque não deu condições de que, mesmo acontecendo esse processo, permanecesse a mesma qualidade ou o mesmo cuidado que se tinha antes com relação ao professor e ao ensino.
Quem estudou em outras décadas sabe como a educação mudou.
Fonte: Jornal Gazeta do Oeste

FEVEREIRO CHEGA AO FIM COM RECUPERAÇÃO DO FPM:

Os municípios receberam na sexta-feira o repasse equivalente à terceira parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de fevereiro.

Em valores líquidos, com a retenção do Fundeb descontada, o montante é de R$ 797,672 milhões. Sem a retenção do Fundeb - valor bruto -, o repasse é equivalente a R$ 997,090 milhões.

Somados os três repasses, o FPM deste mês atingiu a marca de R$ 4,6 bilhões ante os R$ 4,1 bilhões de fevereiro de 2009, crescimento de 12,5%.

O desempenho, em valores brutos, é 5,9% maior que a estimativa da Receita Federal, que previa um repasse de aproximadamente R$ 4,39 milhões e pode ter sofrido impacto do fim da redução do IPI para produtos como eletrodomésticos.

Em comparação ao primeiro bimestre de 2010 com o deste ano, o levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) ainda aponta uma queda na arrecadação de 1,26%.

Estes valores indicam que a diminuição dos repasses em janeiro foi quase compensada pelo aumento de fevereiro: 8,4 bilhões nos dois primeiros meses deste ano ante R$ 8,5 bilhões do ano passado.

A previsão de março é de um decréscimo de 22% em relação ao mês de fevereiro. Os repasses devem chegar a aproximadamente R$ 3,6 bilhões.

Fonte: O Mossoroense

PREFEITOS DO RN SE REÚNEM PARA DISCUTIREM PAUTA MUNICIPALISTA:

Como forma de planejar os passos de um ano marcado por características de pós-crise, a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) promoverá na próxima terça-feira, uma reunião com todos os prefeitos do Rio Grande do Norte com o objetivo de discutir o encaminhamento dos principais pontos da pauta municipalista, tanto em nível estadual quanto nacional.

O evento será realizado das 9h às 13h, no Imirá Plaza Hotel, na Via Costeira, na capital e após as discussões será encerrado com almoço oferecido aos presentes.

A pauta do encontro constará de assuntos diversificados que envolvem problemas e soluções para as mais diversas regiões do Estado.

Os prefeitos receberão orientações ligadas ao pagamento de precatórios que facilitem o processo de tomada de providências a serem obedecidas, conforme a Emenda Constitucional (EC) 62/2009, promulgada em dezembro de 2009.

A EC 62 criou um regime especial, que permite aos municípios com o pagamento de precatórios atrasado quitar os débitos parcelados em até 15 anos, ou destinando 1% ou 1,5% da Receita Corrente Líquida (RCL) municipal.

Um outro assunto que envolve diretamente as receitas será debatido e aborda a recuperação de receitas do ISS. Nesta parte da reunião técnicos e consultores apresentarão aos prefeitos o programa ISS Digital, disponibilizado pela Femurn para que as prefeituras incrementem a arrecadação digital.

O programa faz parte do conjunto de ações propostas pela Femurn para modernizar as administrações municipais.

Como forma de encerrar a pauta de assuntos macro, o encontro abordará a ligação do pré-sal com os municípios.

Na oportunidade será apresentada aos prefeitos a proposta de redistribuição de royalties oriundos da produção de petróleo (PL 5938), em tramitação no Congresso Nacional. A redistribuição beneficiará cerca de 5.300 municípios brasileiros.

O presidente da Femurn, prefeito Benes Leocádio, de Lajes, ressalta a importância da participação dos prefeitos na reunião, que mobilizará prefeitos de todo o Estado.

"Vamos discutir alguns dos principais pontos da pauta municipalista deste ano, dando o encaminhamento de lutas como a distribuição dos royalties do petróleo, uma proposta que recebe o apoio da Confederação Nacional dos Municípios e das Federações de Municípios e será muito benéfica, sobretudo para os pequenos e médios municípios brasileiros", frisou Benes Leocádio.

INTERIORIZAÇÃO DO SAMU SERÁ DISCUTIDA EM REUNIÃO

Em meio a lista de temas descentralizados que serão discutidos de forma direta pelos prefeitos potiguares está a interiorização do Samu.

A Femurn levantará o debate em torno da proposta de formação de Consórcios municipais - MS/Sesap/RN e municípios do RN.

Na oportunidade, técnicos da área da Saúde do Governo do Estado apresentarão aos prefeitos o projeto de interiorização do Samu, o que inclui a destinação de ambulâncias e contratação de equipes de profissionais da Saúde, além da reestruturação dos hospitais regionais.

Um outro assunto que será colocado para discussão no encontro diz respeito ao “Programa Minha Casa Minha Vida”, onde técnicos do Governo do Estado orientarão os prefeitos sobre a elaboração do Plano Local de Habitação de Interesse Social com a criação, por meio de lei a ser enviada à Câmara, do Fundo Municipal e do Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social.

A legislação é exigida pelo Ministério das Cidades e sem ela os municípios ficarão impedidos de receber recursos e investimentos para o setor habitacional.

A realização do encontro foi bem recebida pelos prefeitos potiguares que devem aproveitar o encontro para aprimorar ideias em torno dos assuntos elencados.

"Será uma boa oportunidade para discutir parâmetros que favoreçam o bom andamento do ano para o segmento municipalista do Estado", destaca o presidente da Associação dos Municipios do Oeste do Rio Grande do Norte (Amorn), Marcos Aurélio.

NACIONAL

Na semana seguinte, no dia 9 de março, a CNM reunirá em Brasília todos os presidentes de Federações e Associações de Municípios e todos os prefeitos do País estão convocados para um grande evento, no dia 10 de março, no auditório Senador Petrônio Portela, no Senado Federal. Para o dia 19 de março, a CNM convocou todos os prefeitos a participarem, em suas cidades, do Dia Nacional de Luta em Defesa dos Municípios.

Fonte: O Mossoroense

sábado, 27 de fevereiro de 2010

MUNICÍPIOS INCLUSOS NO FUNDO GARANTIA-SAFRA:

Extratos de Termos de Adesão ao Fundo Garantia-Safra que celebram os Municípios de Acari, Afonso Bezerra, Angicos, Apodi,Assu, Barauna, Barcelona, Bento Fernandes, Bodó, Bom Jesus,Caicó, Caiçara do Norte, Caiçara do Rio do Vento, Campo Grande,Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Cerro Corá, Coronel Ezequiel, Currais Novos, Fernando Pedroza, Florânia, Frutuoso Gomes, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Ielmo Marinho,Ipanguaçu, Ipueira, Itajá, Jaçanã, Janduis, Japi, Jardim de Angicos, Jardim do Seridó, Jardim de Piranhas, João Câmara, Lagoa Nova, Lagoa de Velhos, Lajes, Lajes Pintadas, Lucrécia, Luis Gomes, Macau, Martins, Messias Targino, Mossoró, Parelhas, Passa e Fica, Patu, Pedro Velho, Pedra Grande, Pedra Preta, Pilões, Porto do Mangue, Pureza, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santana do Seridó, Santo Antônio, Santa Cruz, São Bento do Norte, São Bento doTrairi, São Francisco do Oeste, São José do Seridó, São Miguel do Gostoso, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Tomé, São Vicente, Senador Eloi de Sousa, Serra do Mel, Serra Negra do Norte, Sítio Novo, Taipu, Tangará, Tenente Laurentino Cruz, Touros, Upanemae Venha Ver perante o Estado do Rio Grande do Norte para o Ano Agrícola 2009/2010. CLÁUSULA PRIMEIRA – DO OBJETO DA ADESÃO: O presente Termo de Adesão tem por objeto firmar a parceria entre os Municípios e o Estado acima qualificado para garantir renda mínima aos agricultores familiares que, tendo aderido ao Programa Garantia-Safra, venham a perder pelo menos 50% (cinqüenta por cento) das lavouras de mandioca, milho, feijão, arroz ou algodão do ano agrícola 2009/2010, reconhecidos pelo Governo Federal na forma do regulamento em municípios que estejam adimplentes com o Fundo Garantia Safra. CLÁUSULA TERCEIRA – DO PRAZO DE VIGÊNCIA: O presente Termo de Adesão vigerá a partir da data de sua assinatura até a conclusão das obrigações para o ano agrícola em referência. DATA: Natal(RN), 01 de julho de 2009. ASSINATURAS: WILMA MARIA DE FARIA – Governadora do Estado do Rio Grande do Norte e os Prefeitos dos Municípios acima mencionados. TESTEMUNHAS: Maria da Conceição F. de Medeiros – CPF 489.672.464-04 e Jadna Faustino M. da Silva – 030.304.254-01.
Publicado no Diário Oficial de: 27/02/10

Fonte: Blog do Totinha

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

CRÔNICA: Placa Mãe Não Gera Filhos

Já faz alguns anos, foi lançado o filme “O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON” onde o autor retrata a historia do nascimento ao inverso, a pessoa nasce adulta e vai regredindo até morrer.
Não vi o filme e pelo que ouvi acho que não gostaria, seria grotesco demais.
Estamos na era da eletrônica e da alta tecnologia, robôs já fazem serviços domésticos e cachorros de lata vigiam as casas.
Uma das primícias do ser humano é envelhecer.
Os jovens ainda não entenderam isto.
As geringonças eletrônicas não envelhecem, ficam absoletas e logo são substituídas por outra mais moderna, a tecnologia avança a passos largos e é mutante, muitas vezes deixando para trás sentimentos de ternura.
Os filhos hoje entendem muito de Disco Rígido.
Houve tempos que o pai era chamado de “esteio da casa”, para os mais jovens, esteio é a peça principal de um telhado, hoje o disco rígido armazena as informações que cada um acha do seu agrado e os esteios vão ficando esquecidos na lixeira ou se tornam simplesmente um rascunho.
Os filhos agora entendem muito de Placa Mãe.
Que não chora e não pode gerar filhos.
Mas é a responsável pelo funcionamento da maquina onde todos os componentes são acoplados e sem ela o computador não existiria.
Igualzinho à Mãe de carne e osso, que abraça todos os filhos com amor e carinho e sem ela a família não existiria.
O problema é que ela pensa e não aceita ser formatada na hora que o filho quiser.
Os pais não são perfeitos como os computadores, então é preciso deletar lembranças de ser empurrado em carrinhos de bebês e de noites mal dormidas porque alguém chorava ou ficava doente.
Para quê conversar com quem não se deixa ser modificado num simples apertar de uma tecla?
Os amigos agora são virtuais.
Os amores são superficiais.
Nós, acima dos 50 anos estamos sendo vencidos pela tecnologia que oferece muito mais atrativos para os nossos filhos.
Que só pensam em nos deletar
Na mesma proporção que a tecnologia avança, os corações embrutecem e o pensamento é sempre vencer mais um desafio destes jogos violentos que nada acrescenta no crescimento moral e intelectual de quem se deixou escravizar por uma maquina.
Os nossos filhos!
Que se trancam nos quartos.
Seu disco rígido não tem espaço para momentos de cumplicidade com os pais.
Sua memória RAM não consegue lembrar quantos abraços e beijos foram compartilhados.
Para que conversar com que responde no mesmo tom ou com alguma autoridade?
As maquinas humanas que formataram suas vidas com carinho e amor, sem disco rígido e sem placa mãe, estão ultrapassadas e precisam ser jogadas em um quartinho dos fundos, misturando-se com as geringonças eletrônicas absoletas.
Alguns receberão uma visita de vez em quando em um asilo de caridade.
Se os jovens não pararem para pensar e realmente fizerem a inclusão do amor junto coma inclusão digital, daqui a poucos anos o mundo será habitado apenas por robôs e os da minha geração irá se encontrar com a mãe terra muito antes do que pensava.
Enquanto eu tiver forças vou lutar contra este senhor de engenho chamado computador que escraviza nossos jovens.

Fonte: Usina de Letras
Autor: Geraldo Eustáquio Ribeiro

SUSPEITA DE FRAUDE NO PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO:

Alto Oeste - Denúncia grave envolvendo mais de cem educadores de jovens e adultos e uma equipe de sete coordenadores, todos ligados à Diretoria Regional de Educação (DIRED), com sede em Umarizal. Os denunciados estariam desviando recursos do Programa Federal Brasil Alfabetizado, que no Rio Grande do Norte se chama RN Caminhando.
O escândalo foi descoberto pelo prefeito de Antônio Martins, o advogado Edmilson Fernandes de Amorim (PT). "No início, eu tinha apenas a desconfiança de que algo estava errado, pois o programa não funcionava. Inclusive, a diretora da Dired, Maria Eunice, chegou a oferecer dois cargos de coordenador e eu não aceitei. Nesta semana eu tive um susto, pela dimensão do caso", diz.
No caso, os professores e coordenadores matricularam 1.523 moradores de Antônio Martins no Programa RN Caminhando. Para se matricular no município, é preciso morar no município e não ser alfabetizado, além de não estar matriculado em nenhum outro programa de alfabetização, como por exemplo o Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA).
Cada um dos 120 professores do Programa RN Caminhando em Antônio Martins recebe, através de um cartão magnético, uma bolsa de R$ 250,00. Cada coordenador do programa ganha R$ 500,00. A missão do professor é alfabetizar o cidadão e o coordenador fiscaliza se o trabalho é feito ou não, tudo sob a responsabilidade da Dired de Umarizal.
Só que, no caso de Antônio Martins, segundo Edmilson Fernandes, as aulas não eram ministradas, configurando-se assim o desvio dos recursos da União. "A cidade não tem esse índice absurdo de analfabetismo. Temos uma educação exemplar, com mais de 4.600 alunos matriculados do ensino infantil ao ensino médio, além de 644 alunos matriculados no EJA. Não tem sentido existir 1.523 alunos no RN Caminhando", reclama o gestor, acrescentando que se fosse assim o município teria o pior índice de alfabetização do Rio Grande do Norte, talvez do país, o que não reflete a realidade do município de Antônio Martins, uma das cidades mais bem organizadas e estruturadas da região Oeste do Rio Grande do Norte. "Aqui temos 24 escolas bem estruturadas na zona rural e uma na sede do município, onde estudam 2.077 alunos. Temos seis ginásios de esportes e pagamos o piso nacional dos professores, respeitando a titulação de cada um. As cinco escolas do Estado têm 484 alunos matriculados" narra o prefeito.
Para matricular os alfabetizados como se fossem analfabetos no Programa RN Caminhando, os professores e coordenadores se apropriaram de listas do Programa do Leite e também da lista de filiados a partidos políticos. "Daí a explicação de tantos comerciantes, vereadores, ex-vereadores e lideranças políticas estarem na lista de alfabetizando erroneamente", conclui o prefeito, lembrando que a grande maioria dos matriculados sequer sabe do que está acontecendo.
O prefeito e os secretários do município calculam que pelo menos 80% dos presentes na lista são alfabetizados. Acrescentou ainda que muitos são estudantes matriculados no ensino fundamental e médio do município. "Há casos que o nome de uma mesma pessoa está matriculado em três turmas do Programa RN Caminhando, além de estudar na rede estadual", destaca.
Prefeito, que é advogado, consta como analfabeto:
A quantidade de matriculados (1.523) estimulou o prefeito Edmilson Fernandes a procurar a coordenadoria do Programa RN Caminhando na Secretaria Estadual de Educação, em Natal, dia 19. De posse da lista, o prefeito teve outro grande susto. Descobriu que ele próprio, a mãe, vereadores, comerciantes e até pessoas que moram em outros Estados estavam todos matriculados.
Devido à fraude, o município de Antônio Martins não pode concorrer ao Sele do Unicef, bem como a partir de 2010 teria um prejuízo na arrecadação de pelo menos R$ 30 mil. "Esses recursos não viriam mais para município, pois, conforme o cadastro nacional, nós não estamos alcançando nossos objetivos com a educação. Isso é injusto", reclama Edmilson Fernandes.
Ao descobrir o escândalo, o prefeito convocou todos os coordenadores a sua casa e deles ouviu a confissão do crime. No caso, erraram os professores que matricularam alunos alfabetizados como se fossem analfabetos, erraram os coordenadores que não fiscalizaram e errou a Dired de Umarizal, que deixou a coisa correr solta, sem qualquer responsabilidade com os recursos federais.
Presidente do TJ determina apuração do fato:
O presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Rafael Godeiro, que é da região do Médio Oeste, ao ser informado do escândalo e da possibilidade de vários outros municípios da região terem o mesmo problema, resultando num grande prejuízo aos cofres da União, determinou que fosse formada uma comissão para apurar o caso.
A professora Clotilde Tavares, coordenadora estadual do programa, informou que vai identificar todos os professores que fizeram matrícula de alfabetizados como se fossem analfabetos com o intuito de fraudar o programa RN Caminhando, demiti-los e informar o caso às autoridades competentes, no caso o Ministério Público Estadual e os respectivos prefeitos das cidades.
"Essa fraude, além do prejuízo aos cofres da União e consequentemente do município, é uma grande falta de respeito com o povo de Antônio Martins e tenho certeza que o Ministério Público vai tomar as providências necessárias para punir os responsáveis exemplarmente e trazer a normalidade a nossa cidade", diz o prefeito Edmilson Fernandes.
Fonte: JornalDeFato

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

SÃO PAULO, A MAIOR CAPITAL NORDESTINA:

Você sabia que São Paulo é a maior cidade aglutinadora de nordestinos fora do Nordeste? Estão concentrados, somente na cidade de São Paulo, mais de 2,5 milhões de migrantes nordestinos que aqui vieram para tentar uma nova vida e realizar os seus sonhos. Esse número equivale a, aproximadamente, 19,62% da população de São Paulo, e é muito maior que a população de muitas cidades nordestinas.
Fonte: Centro de Tradições Nordestinas

NOSSA GENTE (in memoriam): Rita Joana

Rita Joana da Conceição (in memoriam), foi uma Rafael-Godeirense batalhadora. Filha do casal: Raimundo Nonato de Lima e Joana Paulo da Conceição de Oliveira. Permaneceu casada com o Sr. Francisco Mariano da Silva, até o falecimento da mesma.

PREVISÃO DO PROFETA DAS CHUVAS:

Lino Alves, profeta popular em Missão Velha, observa a estrela D´Alva para fazer o prognóstico das chuvas

Tradição herdada do pai, o profeta das chuvas, "seu Lino", faz novo prognóstico para as chuvas no Cariri

Crato. "O inverno no Cariri só vai começar em maio. Por enquanto, são somente chuvas esparsas que garantem a pastagem do gado, mas não apresentam umidade suficiente para o plantio". A avaliação foi feita pelo profeta de chuvas Lino Alves Martins, residente na cidade de Missão Velha.

Já meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), Eduardo Peixoto, reafirma a previsão anterior que é de chuvas abaixo da média, de fevereiro a maio. No caso do Cariri, onde as precipitações são maiores, a média de janeiro a maio é de 761 milímetros.

A 3ª previsão oficial para o semiárido nordestino, segundo Peixoto, deve ser divulgada no próximo dia 22, ao final de uma reunião que está sendo realizada em Natal (RN), com meteorologistas dos centros de pesquisa da Região Nordeste, do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Instituto Nacional de Metereologia (Inmet).

Essa é terceira vez que os especialistas se reúnem para fazer a previsão para o inverno no semiárido nordestino. As outras duas reuniões foram realizadas em Campina Grande (PB), em dezembro, e em Fortaleza, no mês de janeiro. Nesses dois encontros, a previsão foi de que o inverno no semiárido seria de normal a abaixo da média, com uma pré-estação chuvosa (janeiro e fevereiro) de chuvas fortes, principalmente no sertão do Nordeste. Eduardo Peixoto antecipa que o quadro provavelmente não vai mudar.

Em parte, a avaliação dos meteorologistas coincide com as previsões do profeta que, no mês de janeiro, advertiu os agricultores quanto à falta de chuvas. Seu Lino, como é conhecido, afirmou que previu a irregularidade de chuvas em dezembro, janeiro e fevereiro. Ele avisou para os agricultores que o consultam que não plantassem, porque as chuvas só seriam intensificadas a partir de maio.

As experiências do profeta estão fundamentadas nas datas religiosas do ano: Dia de Santa Luzia, Natal e Ano Novo. No amanhecer destas dias, ele observa sinais que o orientam sobre período invernoso. No entanto, as mais importantes indicações, na sua avaliação, é o posicionamento da estrela D´Alva e a direção dos relâmpagos.

No momento, a estrela D´Alva está no poente. "É sinal de chuvas fracas. Quando ela passa para o nascente, as chuvas aumentam", afirma.

No caso dos relâmpagos, ele afirma que "quando eles estrondam no nascente, pode botar o pote na biqueira porque é chuva na certa. Aí sim, você pode plantar". Ao fazer este comentário, o profeta explica que, por enquanto, as trovoadas estão concentradas no poente, o que, segundo afirma, é sinal de pouca chuva.

Natural da zona rural de Iguatu, seu Lino, que sempre trabalhou na agricultura, aprendeu com o pai estas experiências de observar a natureza. Ele acrescenta que, quando morava no Sítio Emboscada, suas pesquisas eram feitas também com a floração das plantas.

ANTÔNIO VICELMO
Repórter

MUDANÇAS CLIMÁTICAS:

A recente sanção presidencial à lei brasileira sobre mudanças climáticas, as novas previsões sobre a safra de grãos no País (10/2), ao lado do noticiário sobre desastres provocados por chuvas e inundações nos últimos meses, reafirmam que o País precisa preocupar-se - e muito - com a questão do clima.
.
Embora se anteveja um aumento da safra de grãos, há culturas e regiões nas quais a queda tem sido relevante, como é o caso das safras de milho, feijão e arroz em partes do Centro-Oeste ou do arroz no Sul. E no Centro-Oeste ela tende a continuar.
O tema é ainda mais preocupante quando se toma conhecimento do estudo Economia da Mudança do Clima no Brasil, feito por 11 institutos universitários de pesquisa, coordenado por Carolina Dubeux, da Coppe-RJ, e divulgado pelos jornais (7/2). Ali se mostra que em 40 anos, dependendo do cenário, o Brasil poderá perder R$ 3,6 trilhões em suas safras, por causa de problemas climáticos. E isso inclui redução de áreas aptas para culturas alimentares e acesso mais limitado à água. Que podem resultar também em maior pressão para ocupar áreas de florestas. O Estado de São Paulo, no pior cenário, pode perder R$ 1,2 trilhão.
A preocupação não é só brasileira, mas outros países estão à nossa frente em estratégias e cuidados. A Inglaterra - para citar apenas um - tem um Ministério do Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais que já implanta uma estratégia de segurança alimentar planejada para 20 anos, que propõe até uma revolução tecnológica. E uma descentralização da produção e do comércio, para que eventuais danos sejam menos amplos. Além disso, está mergulhada numa discussão com produtores e consumidores sobre a necessidade - ou não - de reduzir o consumo de carne vermelha, da mesma forma que o consumo de fertilizantes, pesticidas e combustíveis na produção de alimentos.
Também da ONU vêm notícias (Estado, 18/12) das consequências que poderá ter na área de alimentos um aumento de 3 graus Celsius na temperatura do planeta - o horizonte mais provável com a redução insuficiente de emissões de gases oferecida pelos países industrializados e pelos “emergentes”. As consequências de secas e enchentes seriam muito fortes nas colheitas de países tropicais e mais 550 milhões de pessoas - além do 1 bilhão atual - estariam expostas à fome.
Nesse quadro, a Lei de Mudanças Climáticas sancionada pelo presidente da República parece ainda tímida, ao propor como objetivo reduzir entre 36,1% e 38,9% as emissões brasileiras, calculadas sobre o patamar a que chegariam em 2020 tomando como base o de 2005. Isso equivaleria a cerca de 300 milhões de toneladas anuais de poluentes e ainda deixaria o País com pouco mais de 1,9 bilhão de toneladas/ano (cerca de 10 toneladas anuais por pessoa se até lá a população não crescer muito).
Na apresentação que o ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, fez ao Senado sobre o inventário brasileiro de emissões - ainda em preparação e com prazo até março de 2011 para ser submetido à Convenção do Clima -, as emissões brasileiras em 2005 são calculadas em 2.205,3 milhões de toneladas (em equivalentes de carbono), com um aumento de 48,4% sobre 1994, ano do inventário anterior, quando eram 1.484,9 milhões de toneladas. E aumento de 61,7% sobre 1990, quando estiveram em 1.362,3 milhões de toneladas. Um ritmo de crescimento muito preocupante, embora o Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) levante questões sobre a conversão do metano em carbono (multiplicando por mais de 20 o número) nos cálculos, que tem muita importância no caso brasileiro.
Seja como for, a comunicação do MCT atribui a “mudanças no uso do solo e florestas” nada menos que 76,3% das emissões em 2005, com 1.202,1 milhões de toneladas, quando eram 747,8 milhões de toneladas em 1994 e 709 milhões em 1990 - ou seja, um aumento de 60,7% sobre o inventário de 1994 e de 69,5% sobre 1990. Ao setor de energia cabem 22% das emissões, aí incluídos o transporte, a indústria e residencial. Mas as emissões por esse caminho (346,9 milhões de toneladas em 2005) aumentaram 71% dede 1990.
Uma das questões mais complexas é mesmo a das emissões brasileiras de metano (13,465 milhões de toneladas), de que a agropecuária responde por 71%, principalmente com os gases resultantes da fermentação entérica, no processo de ruminação de alimentos pelo gado. Mas, como está dito atrás, o processo de conversão, multiplicando por 21 os números do metano, resultaria num total de 282,7 milhões de toneladas, equivalentes a cerca de 80% das emissões de todo o setor de energia, incluídos indústria e transportes. Mas essa conversão é posta em questão pelo governo brasileiro e por muitos cientistas. Principalmente porque está em discussão no âmbito do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), órgão científico da Convenção do Clima, uma tese de que essa equivalência deve ser reduzida a 3 ou 4, por causa do tempo menor de dissipação do metano e outros fatores (como já se comentou aqui em outros artigos).
Seja como for, é um quadro que precisa ser trabalhado pelo Brasil. Porque o País já é vítima de desastres climáticos severos, porque se prevê agravamento desse panorama - e ainda não temos uma política abrangente de adaptação às mudanças - e também porque se intensificam as pressões para assumir compromissos (e não apenas metas voluntárias de redução de emissões). E até porque uma redução de menos de 15% sobre as emissões de 2005 parece insuficiente.
O início da campanha eleitoral com certeza aumentará as discussões sobre o tema, como também já se comentou aqui. O que disseram na reunião de Copenhague três candidatos a presidente (Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva), além do presidente Lula, não terá como ficar fora das teses apresentadas ao eleitorado. E será um avanço ver o tema discutido em âmbito nacional.
*Washington Novaes é jornalista E-mail: wlrnovaes@uol.com.br
(Envolverde/O autor)

CARVÃO ECOLÓGICO É ALTERNATIVA NO SEMIÁRIDO:

Tejuçuoca O carvão vegetal tradicional produzido, em alguns casos, de forma clandestina e utilizando mão-de-obra escrava ou infantil, está ganhando um concorrente de peso. É que, na Fazenda Caiçara, localizada neste município, está surgindo a primeira unidade de fabricação de carvão ecológico do Norte e Nordeste. Ou seja, a confecção de tabletes prensados onde os resíduos de carvão de churrascaria, caieiras, casca de coco e outros tipos de fibras são triturados. O material recebe um aglutinante à base de fécula de mandioca, depois é prensado e colocado para secar, tornando-se tabletes, que foram denominados de briquetes de carvão.


O briquete de carvão vegetal, considerado correto e 100% natural, já consolidado no mercado europeu e norte americano, começa a disputar espaço nas prateleiras de algumas redes de supermercados e postos de gasolina do Ceará. Além da questão ambiental, o briquete promete rendimento maior e tem um outro aliado: o preço competitivo.

De acordo com o proprietário da fábrica, Francisco Lopes da Silva, o carvão vegetal é feito de argila, cinzas e um sub-produto da mandioca. Não faz fumaça e queima mais rápido e, o mais importante, preserva a natureza e dá vida ao meio ambiente.
Fonte: Semiárido

MOTO TOMADA DE ASSALTO EM RAFAEL GODEIRO::

Na noite de ontem(20), por volta das 21:50 horas, a pessoa de Gilberto Fernandes Cavalcante, conduzia sua motocicleta na RN 074, altura do Sítio Tatu Gordo, zona rural de Rafael Godeiro/RN, foi abordado por dois malévolos armados de revólveres , anunciaram o assalto e tomarm sua motocicleta Honda CG 125 titan ES, cor vermelha, ano 2000, placa MXI - 7006/RN. segundo a vítima os meliantes disseram que estavam em fuga da cidade de Patu/RN e que queriam a motocicleta apenas para passarem pela zona urbana de Rafael Godeiro/RN, deixando a vítima amarrada.
O Destacameno Policial de Rafael Godeiro/RN,sob o comando do sargento Ivaildo, se encontra em diligências seguindo algumas pistas que possam levar aos autores desse roubo. Até o presente momento a motocicleta ainda não foi encontrada;

Fonte: Nosso Paraná

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

HUMOR: Eu levo ou deixo ?

RUI BARBOSA



Eu levo ou deixo ?



Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa um certo dia, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal.



Chegando lá, constatou um ladrão tentando levar seus patos de criação.



Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus amados patos, disse-lhe:



"Oh, bucéfalo anácrono! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à qüinquagésima potência que o vulgo denomina nada."



E o ladrão, confuso, diz:



"Dotô, eu levo ou deixo os pato?"

Fonte: Usina de Letras (Hull de La Fuente)


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

NOSSA CIDADE: Rafael Godeiro-RN

Atenção turistas de todas cidades do Brasil: Conheça outras cidades Brasileiras que estão encravadas no sertão nordestino. São pequenas cidades ricas em cultura, culinária e uma ampla fauna e flora tipicamente nordestina. Aproveite para nos visitar; nós estamos a 318 Km de distância da capital (Natal) e nossa cidade chama-se: Rafael Godeiro-RN. Estaremos aguardando a sua visita.

CORDEL: O Guarda Abilolado

Doutor, eu tenho razão,
De ser meio abilolado,
Venho do tempo marcado
Por seca e revolução.
Quando eu tinha ano e meio,
Escapei de um tiroteio,
De meu pai com a bolandeira.
Se meu pai ganhou, eu não sei
E também nunca perguntei,
Nem, sequer, por brincadeira.
Vim conhecer a cidade,
Quando votei pra prefeito
E, por sinal, ele foi eleito,
E, para minha felicidade,
Ele me deu um emprego:
Me entregou uma farda,
Um capote, um coturno,
Um capacete envernizado,
Um apito enferrujado,
Eu fui ser guarda noturno.
Passeava as noites inteiras,
Apitando na cidade,
Escola, igreja, cinema,
Mercado e maternidade.
Nas noites frias do inverno,
Eu usava um velho terno,
Umas meias de crochê,
Bebia quatro cachaças,
Dava três voltas na praça
E corria pro cabaré.
Lá existia de tudo:
Discursão, briga, lorota,
Um contava aventura,
Outro pagava uma meiota;
Quando um bêbado se zangava,
Eu ia lá e ajeitava.
O bêbado ficava manso,
Pagava pra mim uma bebida
Eu dava um apito e saía,
Na velha ginga de ganso.
Até que um dia o prefeito,
Fez uma reunião
E nela perguntou aos guardas:
-Querem aumento ou promoção?
Antes de fechar a boca,
Eu gritei com voz rouca:
-Quero promoção seu Zé!
Disse ele ta garantido,
Aprovado e promovido,
No maior posto que houver.
Me deu uma farda nova, florada,
Quem nem chita enfeitada,
De galão, estrela, medalha e fita,
Broche, botão e alfinete;
Trocou meu velho cacetete
Por um novo profissional,
E me disse: de hoje em diante,
Você é comandante,
De Guarda Municipal.
Pois três meses depois,
Veio a guerra mundial
E, nesse tempo, uma irmã minha
Tava morando em Natal.
Eu fui visitá-la;
Botei a farda na mala,
Passei o cargo a Raimundo
Que era quase um irmão.
Peguei o trem na estação,
E me intupigaitei pelo mundo.
Que lugar longe da gota.
Quase o trem não chegava mais;
Tinha hora que pensava
Que ele tava andando pra trás.
Entre solavancos e berros,
O velho embuá de ferro,
Viajou a noite inteira,
E de manhã cedo, chegou
Deu um apito e parou
Na estação da Ribeira.
Desembarquei e fiquei
Perdido na multidão.
Quando eu puxava uma conversa
Ninguém me dava atenção.
Quando mais bom dia dava,
Mais o povo se abusava,
Talvez me achando chato.
Era um povo diferente,
Da qualidade da gente,
Das cidadinhas do mato.
Perguntei a mais de mil,
Se eles davam notícia
De Carmelita de Sousa,
Uma cabocla mestiça,
Mulher do guarda Pompeu,
Mais morena do que eu
E de cabelo meio ruim,
Que morava na Ari Parreira,
Que fica perto da feira
No bairro do Alecrim.
Depois de tanta pergunta,
Depois de ouvir tanto não,
Me apareceu carmelita,
No pátio da Estação,
Toda cheia de finesses,
Puxando nos Rs e Ss
Que nem mulher de doutor,
Nem parecia a matuta,
Que lavrou a terra bruta,
No Sertão do interior.
Mesmo assim me recebeu,
Na sua casa modesta,
Os primeiros cinco dias,
Para nós foram de festa.
Quando o sexto dia veio,
Resolvi dar um passeio.
Mandei engomar a farda,
Me banhei, tirei o grude,
Me preparei como pude,
Para ter um dia de glória.
Passei o resto da tarde,
Sentado num tamborete,
Pregando estrelas, galões,
Broche, alfinete, botões,
Comprei mais uns acessórios,
Enfeitei o suspensório,
Feito de sola curtida.
De manhã cedo me vesti,
Tomei café e sai,
Dando risada da vida.
Na praça Gentil Ferreira,
Onde tinha um mercado,
Eu parei para tomar fôlego,
Quando passava um soldado
E fez continência para mim.
Eu fiquei pensando assim:
Que danado ele viu neu,
Na certa ta me confundindo,
Ou me achando parecido,
Com algum colega seu.
E haja passar soldado,
Fazendo assim com a mão.
Daqui a pouco era sargento,
Coronel, capitão, cabo,
Tenente, major
E todo o estado maior,
Dos quartéis da redondeza
Cumprimentavam-me ali
Até hoje nunca vi
Tamanha delicadeza.
Desfilaram tanques de guerra,
Aviões em vôo rasantes,
Sirenes tocaram mais fortes,
Canhões dispararam distantes.
Um praça do Coronel,
Puxou do bolso um papel,
Onde tinha um letreiro
Que dizia: - Nossa terra
Tem um espião de guerra,
Que chegou do estrangeiro.
Não quis falar com ninguém,
Não pergunta e nem responde,
Ninguém sabe de onde vem,
Ninguém sabe onde se esconde.
A sua farda é de cor de ameixa,
A impressão que nos deixa,
É que é um grande guerreiro,
Filho de outra nação,
Ou um perigoso espião,
Das guerras do estrangeiro.
Vamos levá-lo ao quartel,
Para uma averiguação,
Pois precisamos saber,
De onde veio esse espião.
Em seguida me levaram
Ao quartel e me entregaram
Ao Comandante Geral
Que, quando me viu fardado,
Perguntou meio assustado:
- Que tás fazendo em Natal?
Donde diabo é essa farda?
Faça o favor de informar,
E como se chama a nação
Que usa uniforme diferente?
E quem lhe deu tanta patente?
A troco não sei de que.
E porque Vossa Excelência
Não responde as continências,
Afinal, quem é você?
-Coronel, eu sou Zé Carrapeta,
Sou filho do Cariri.
Não sei fazer continência,
Pra gente que nunca vi.
Porém, nunca fui intruso
E, acredite, eu só uso
Esse quepe de biriba,
Essa farda e esse coturno,
Porque sou Guarda Noturno,
Em Sapé, na Paraíba.
CHICO PEDROZA

PRESO POR ORDEM JUDICIAL:

Pessoa é presa por ordem Judicial
No dia de ontem(07), PMs do Destacamento Policial Militar de Rafael Godeiro/RN,em atendimento a uma ordem judicial, prendeu o pedreiro Laurenilson Taveira Gomes, 29 anos, o mesmo está em uma das celas da Delegacia local à disposição da Justiça.

A REGIÃO NORDESTE É A MAIOR PRODUTORA DE MEL DO BRASIL:

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Segundo os mais recentes dados do IBGE, a região nordeste figura como a maior produtora de mel do Brasil. A pesquisa de Produção Pecuária Municipal realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística situa oito municípios nordestinos entre os 10 maiores produtores.

Os três primeiros colocados são os municípios de Limoeiro do Norte (CE), Apodi (RN) e Picos (PI) com 550, 500 e 496 toneladas de mel produzidos respectivamente.

O levantamento refere-se aos produtos de origem animal da pecuária. Os fatores para que o mel tenha destaque deve-se à importância do produto nos mercados nacional e internacional, além de ter sido introduzido em programas regionais da merenda escolar e de geração de emprego e renda para pequenas comunidades.

Piauí, apesar de figurar como o maior produtor da região com 4,1 toneladas de mel, perdeu o posto de detentor do município com maior produção, visto que Picos, antes primeira colocada, foi ultrapassada pelas cidades de Apodi e Limoeiro do Norte.

O Ceará teve um aumento de 30% da produção de mel, hoje com 4 toneladas ocupando a quarta posição no País e a segunda no Nordeste, com 4.073 toneladas produzidas.

Apesar de o Nordeste possuir os municípios mais bem colocados no ranking, a região figura na segunda posição, com uma produção de 14,1 toneladas, logo atrás das 15,7 toneladas da região sul do país.

A região sul do país possui os bons desempenhos de Santa Catarina, com 3,7 toneladas, Paraná, produzindo 4,1 e Rio Grande do Sul, maior produtor de mel do Brasil, com 7,4 toneladas.

E além de perder o posto de região mais produtora do Brasil, o nordeste, mesmo possuindo diversos municípios bem ranqueados nas primeiras posições, ainda engatinha na exportação do produto.

A receita das exportações brasileiras, o montante foi de US$ 65,79 milhões, correspondentes a 26 mil toneladas e o estado de São Paulo ficou na liderança das exportações, com US$ 17,51 milhões.

O estado respondeu sozinho por um quarto das exportações brasileiras, apesar de sua produção (2 toneladas) ser sete vezes menor que a do nordeste e duas vezes inferior ao nordestino mais exportador, Ceará.

O Ceará foi o segundo exportador nacional, com US$ 14,37 milhões, referente a mais de um quinto do valor exportado (21,8%), O terceiro lugar ficou com o Rio Grande do Sul, atingindo receita de US$ 9,68 milhões, seguido de Santa Catarina, com US$ 7,91 milhões.

Os números cresceram em mais de 50% em relação ao ano anterior. O preço médio do produto, de US$ 2,53/kg, foi o mais alto alcançado na história, superando os US$ 2,38/Kg do resultado anterior.

Mel Brasileiro

O Brasil tem dois tipos de abelhas: africanas e europeias. Com o tempo, as duas espécies se misturaram e surgiu a abelha africanizada O mel é colhido em duas épocas no ano: no outono e na primavera. O mel deve ser armazenado num local arejado e escuro, para assim evitar a fermentação do produto.O produto puro demora mais tempo para derreter na boca; quando o mel cristaliza e tiver uma cor uniforme, é porque é puro.

Fonte: Tendências e Mercado.

NOSSA GENTE: Antonio Mariano Sobrinho

Antonio Mariano Sobrinho, mais conhecido na cidade como "tonheiro". É um Rafael-Godeirense trabalhador e esperto. Filho do casal: Raimundo Mariano e Maria ... (?). Quando precisar de um "caba" trabalhador; é só entrar em contato com ele.